terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

SILÊNCIO


Naquela noite, em algum lugar do estado, a posição fora tomada repentinamente.

Era Preciso silenciar as letras, amordaçar o ímpeto e sufocar a fala.

Há um tempo determinado para todas as coisas, e o tempo do silêncio enfim chegara.

Os objetivos nunca dantes sonhados foram alcançados.

Houve o despertar da consciência que do jeito que ia o abismo seria o seu destino derradeiro.

A identidade estava sendo perdida e pode agora ainda ser achada; o caminho pode ser recomeçado e o que já passou pode ser enterrado.

A página está virada e só o tempo pode delinear a vontade divina.
As férias se aproximam; só mais um trabalho em término na prancheta  e o merecido descanso no silêncio cumpre a sua sina.

Quiçá a nau um dia não aporte no mar das profundezas da alma?

No entanto, é preciso buscar aquilo que os olhos não viram e que os ouvidos não ouviram, É preciso clamar para receber respostas do todo poderoso criador dos céus e da terra.

Só o Senhor tem a chave do tempo, das razões e das revelações.

Nada acontece sem que ELE permita e queira que divulgue.

Porquanto, louvado e bendito seja o "Seu Santo Nome"

A ELE e DELE seja toda a honra, poder, magnitude e glória.



Silêncio.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

COSTUME OU A BUSCA DA IDENTIDADE E SANTIDADE NAS ASSEMBLÉIAS DE DEUS NO BRASIL?

Foi com grande alegria que recebemos a notícia a veiculada em toda a WEB que o nosso Pastor Presidente José Wellington Bezerra da Costa havia se pronunciado publicamente sobre um tema que causado tantos celeumas ao meio do povo do Senhor.

Ele fala com grande propriedade e convicção sobre a perda da identidade assembleiana a qual fora exemplo no meio evangélico mundial.

Diz que estamos perdendo a unção, copiando o costume dos samaritanos e não mais sendo copiados.

Da mesma forma em que o Pr. Presidente toma uma posição enérgica sobre o assunto daqui para frente, anos atrás, o Pastor Cesino Bernardino já havia se pronunciado admoestativamente, pois tivera uma visão dos céus.


Ao acompanharmos as declarações do prestimoso Pastor Wellington no vídeo a seguir, veremos a contundência dos fatos ora citados.




Em diversos artigos neste blog houve o grito de alerta envidando que estávamos perdendo a diferença e nos tornando iguais entre os iguais. Que o difícil não era ser igual entre os iguais, mas sermos diferente entre os iguais como nos artigos dos links a seguir:







A coragem do Pastor Cesino Bernardino em trazer a tona naqueles dias um assunto quase que intocável, foi de uma ousadia impar, pois posições já estavam sendo tomadas e o que ele divulgaria seria o oposto destas.

Da mesma maneira o Pastor Wellington toma uma posição firme, contrariando a interesses diversos, e de acordo com aquilo que o Senhor mostrara ao Pastor Cesino Bernardino.

Que o Senhor Jesus Cristo seja louvado, e ajude ao ilustre Pastor Wellington a tomar as medidas necessárias para recolocar-nos no caminho do qual nunca deveríamos ter-nos desviados.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

COMBATER O BOM COMBATE

Não tá morto quem peleia, assim diz um dos tantos ditados gaúchos.

Há um ensejo contido neste ditame popular que enquanto há vida há esperança.

Que o peleador mesmo ferido no fragor da batalha, não é um soldado morto, mas alguém que ainda luta pela vida.

Aquele que não luta, já se entregou para o seu algoz e só espera o golpe de misericórdia para acabar com o seu sofrimento.

A bravura e o desprendimento do lutador não encontra paradoxo nos anais da história; porquanto, quem está em busca de um ideal, mesmo que muito ferido, ele açacala a espada, dá um brado de vitória e não esmorece mesmo que a luta seja renhida.

PARADOXOS
Há uma distância abismal separando a batalha literal da batalha espiritual. A luta pode até ser no campo das ideias, mas nunca contra o sangue e nem contra a carne.

O nosso inimigo não deverá estar na mesma trincheira, mas bem definido nos ares da esfera celestial.

DIAS DIFÍCEIS
Nestes últimos dias que antecedem a vinda de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, há um misto de desânimo, de descrédito, enunciando a apostasia.

A dificuldade de manter-nos preparados, vigilantes e atuantes bem demonstra que estamos quase nos entregando "pros homi" bem como diz as muitas charlas gauchas as quais não podemos nos entregar.

O Senhor Jesus Cristo falando sobre este assunto em Lucas 18 o qual retratava os dias de hoje, lembrando daqueles que desistem facilmente, não orando, não persistindo, não buscando e nem jejuando.

Se estivermos neste perfil quando ELE  vier buscar a sua igreja, por ventura encontrará fé na terra? (Lucas 18:8)

Do que adianta ganharmos o mundo inteiro se perdermos a nossa alma? 

Hoje, o mundo inteiro é ofertado nos montes da mídia e estamos nos curvando a ela.

A oferta da Satanás ao Senhor Jesus Cristo fora a mesma dos dias de hoje no: "Tudo isto te darei se prostrado me adoares".

No entanto esta oferta ela não é feita de maneira direta, mas na sutilidade impercebível do bom, bonito e barato. No entanto, o preço será nefasto.

Em outros casos, almas estão deprimidas, aprisionadas em situações em que para elas não há uma saída.

O ocaso parece um fim prematuro das suas perdidas ilusões. Não têm mais forças para lutar e entregar-se sumariamente parece-lhes a solução final de uma epopeia mal vivida.

COMBATER O BOM COMBATE
O apóstolo Paulo foi um exemplo de combatente que lutou no extremo das suas forças e não se entregou. Muitas vezes foi preso, açoitado, apedrejado e rejeitado pelos seus.

No entanto, mesmo sabendo do seu destino foi despedindo-se dos irmãos os quais dizia que nunca mais veriam o seu rosto, e foi para Jerusalém enfrentar o caminho de cruz a qual lhe estava proposto.

Foi preso, levado para Roma onde em 67 DC foi decapitado; mas, antes, na sua despedida ele deixou nos anais da história a sua célebre despedida:

"Combati o bom combate; acabei a carreira e guardei a fé. Desde agora a coroa de Justiça me está guardada a qual o justo Senhor me dará naquele dia, e não somente a mim, mas a todos aqueles que amarem a sua vinda".

CONCLUSÃO:
Combater o bom combate requer um esforço sobre humano na crucificação do eu para viver o ELE. Não se importar com as portas que são fechadas; com as perseguições e com as dificuldades inerentes a um bom soldado do nosso Senhor Jesus Cristo.

Combater o bom combate está além das possibilidades humanas, pois adentra o campo da sustentabilidade divina.

Não desanimar, muito embora quando nos parece que todas as adversidades tem se levantado contra nós. Não temer, pois Ele diz: "Eu sou contigo"; "Eu sou teu Deus"; "Eu te ajudo e Eu te esforço".


É preciso ter a consciência que nem sempre receberemos o galardão nesta terra ou neste lugar; o mais importante de tudo é fazermos a nossa parte que o grande Senhor fará a Dele.

É preciso orar e vigiar para que ninguém tome a nossa coroa a qual receberemos junto com o grande apóstolo Paulo no dia da vinda do Rei dos reis e Senhor dos senhores.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

UMA PAUSA PARA ADORAÇÃO

Na subida ingrime do penhasco da vida, quando paramos para um refrigério da alma, chega a hora para adorarmos o Senhor Jesus Cristo em sua extrema bondade de ser Aquele que nos resgatou da morte eterna na Cruz do Calvário.

Não temos palavras para agradecermos a um Deus tão grande em misericórdia, amor e bondade, porque, somos limitados e a excelência da Sua Glória excede todo o conhecimento o qual não podemos espraiar em palavras.

Por mais que venhamos a abrir o nosso coração e usar a nossa boca em adjetivos solenes de adoração ao todo poderoso criador dos céus e da terra, falta-nos o entendimento profícuo de expressar a nossa eterna gratidão ao Pai, ao Filho e a Aquele que veio para glorificar o Filho a mando do Pai, o glorioso Espírito Santo.

Nesta manhã ao ler um email de uma de minhas irmãs, deparei-me com pequeno, mas grande vídeo, o qual quero compartilhar com os amigos leitores; pois quando o vi, algo diferente aconteceu, inebriando-me a alma, consternando-me o espírito.

A nossa adoração não está na figura, mas na pessoa do amado Senhor; entretanto algo aconteceu na hora do vídeo.

Vejam no link abaixo.


Que a cada dia mais sejamos voluntariamente  verdadeiros adoradores d'Aquele que vive e reina para todo o sempre.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

A ISCA CERTA

Figura somente  ilustrativa 
Ei compadre, vamos pescar?

- Vamos; que tipo de peixe vamos pescar?

- Se for jundiá, vou pegar minhocas brancas; se for traíra, vou pegar lambaris ou se for piava, vou pegar milho verde ou seco e cozinhar.

- Olha compadre, leve um pouco de cada isca, pois, não se sabe o que vai cair  no anzol hoje.

Conclusão: Para cada tipo de peixe tem uma isca certa, para dia e hora certa. Porque, o peixe morre é pela boca. 

Conforme o apetite e o tipo de isca sempre terá um peixe pronto para cair no engodo.

O que é engodo?

en.go.do, masculino

- isca para pesca
(Figurado) coisa com que se engoda ou seduz alguém
(Figurado) aliciação
(Figurado) adulação astuciosa

UMA HISTÓRIA:
Conta-se que há muitos anos atrás, em uma certa cidade de fronteira do Brasil, fora designado para trabalhar lá um determinado servidor público o qual era considerado como incorruptível.

Porquanto, naquele lugar vários outros servidores haviam passado e a oferta da transgressão fora mordaz, perdendo estes os seus postos.

O tempo fora passando, e como este não se corrompia a oferta fora aumentando, mas ele continuava irredutível na sua integridade moral.

No entanto, as coisas ofertadas chegaram a um patamar irrecusável, o qual veio a balançar como uma árvore ao vento. Mesmo assim, ele não caiu, mas reconhecendo os seus limites foi aos seus superiores dizendo:

"Me tirem daqui, pois os homens estão chegando no meu preço".

Conclusão: "Há um ditame que a insistência na propaganda é alma do negócio". Porque, para tudo tem um preço determinado.

A isca tornara-se apetitosa demais pelo seu volume e insistência, chegando ao limite da resistência humana.

OS TIPOS DE ENGÔDOS
Ora, bem sabemos que para atrair a presa tudo tem uma isca certa como:

Para galinha é o milho; para o gato é o rato; para o rato é o queijo e assim por diante.

Certamente o objetivo deste post não enumerar os engôdos para os animais, mas comparar estes com aquilo que muitas vezes atrai a raça humana  para erro.

Dizem por ai que o homem é atraído por aquilo que ele vê e que a mulher por aquilo que ela ouve. A atração pode ser boa ou ser má.

A natureza humana por si mesma já tem a sua origem no pecado. Isto, por si mesmo já é um agravante a dificultar a formação das características de um ser cristão; pois, o próprio Senhor Jesus Cristo disse que:

"Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca". (MATEUS  26:41)

Em sendo a carne fraca, ela está sujeita a cair em engôdos aos quais veem para  lhe despertar os mais diversos tipos de desejos.

É o engôdo que desperta a tentação.

A palavra do Senhor nos diz que o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males (I Timóteo 6:10)

O dinheiro desperta a ganância, pois através dele muitos bens de consumo podem serem adquiridos, como também as vaidades podem serem afloradas através dele para despertar a concupiscência da carne e dos (pelos) olhos as quais não pertencem a Deus:

"Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não vem do Pai, mas sim do mundo". (I JOÃO  2:16)

A soberba da vida está na exaltação do eu; na exaltação da carne em sua exposição e isto pertencem ao mundo e não a Deus como Está Escrito.

Só aquele que guarda a palavra de Deus e espera nela com perseverança pode escapar da tentação que há no mundo e ainda aquela que virá.

"Porquanto guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da tentação (provação) que há de vir sobre o mundo inteiro, para pôr à prova (tentar) os que habitam sobre a terra. (Apocalipse 3:10)

Esta tentação o que é uma provação de fidelidade a Deus e ao próximo se arraiga nas mais diversas áreas de nossa vida.


O QUE TEM A VER O ENGODO COM A PALAVRA DE DEUS?

Aquilo que está dentro de nós provenientes dos frutos da carne, se não estiverem debaixo da mão poderosa do Senhor, será tentado e despertado pelos engôdos da concupiscências intrínsecas a carne.

Figura meramente ilustrativa
"Cada um, porém, é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência; então a concupiscência, havendo concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte". (Tiago 1:14-15)

Hoje, não há dúvida nenhuma que a sensualidade é o maior engôdo para a tentação da carne.

A Bíblia Sagrada, que é a palavra de Deus da enfase não só com aquilo que pode gerar a prostituição da fé, mas também a  prostituição da carne.

O grande Senhor em sua suprema onisciência nos deixa como testemunho um dos principais episódios ao qual o povo israelita veio a cair diante de sua face, bem descrita  abaixo na arte da sedução na doutrina de Balaão.


Poucos estão gritando aos quatro ventos que sem santidade ninguém verá o Senhor; e que a sedução em suas vaidades é que nos afasta da santidade; no entanto, aqueles que gritam são como vozes vazias no deserto.

Aqueles que ousam clamar ao povo divino sobre santidade, são perseguidos, difamados e até isolados. São tachados de querer implantar costumes, de colocar jugos ou até mesmos julgados inconsequentes.

Figura meramente ilustrativa
O laço do diabo e o seu engôdo prolifera nas novelas, modismos e consumismos. Aqueles que como atalaias do Senhor gritam pelos montes da WEB, rádios e assemelhados, não lhes são dado créditos a suas pregações.

A lascívia está presente nos lugares aonde menos se espera. Como uma isca bem adornada se espraia ao meio das crianças, jovens e adultos.

Não há mais distinção de pessoas. Não se prega no mundo e nem se ensina sobre este tema considerado tão indigesto.

Os frutos da carne estão proliferando ao meio do povo santo sem controle.

Muito poucos são aqueles que ajudam as suas lideranças para não se indispor contra a maioria.

Há um ditado popular de que "Quem se cala consente".  O certo é que daremos contas ao Senhor de tudo aquilo que nos foi delegado para que façamos e não o fazemos.

Poucas vezes deixamos de falar o que nos veio para que fale. No artigo sobre lascívia no link abaixo, não nos omitimos de dizer o que era para ser dito.

Certamente, de um alto e sublime trono o Senhor nos contempla a cada um destes e lhes dará a paga conforme as suas obras.

No entanto, ainda é tempo de olharmos para o Senhor Jesus Cristo e vermos que só na humildade, na separação e na união com amor é que veremos ao Senhor.

Amém.

O que nos veio foi o que escrevemos. Se escrevemos fora da vontade divina, a Ele prestaremos conta..

MEU REINO NÃO É DESTE MUNDO



O ANJO DESMEMORIADO: (ficção) Pergunta o anjo sem memória ao transeunte: "Quem sou e onde estou?"

Responde o transeunte: "Pelo seu jeito você é um anjo do céu e está na terra agora; o que foi que houve com você?"

Ah! lembrei; o Senhor ordenou-me que viesse a terra dar proteção a João e Maria (Salmo 91:11) seus servos, mas, houve um lapso de memória e  assim estava quando você encontrou-me, respondeu o anjo.

Muito embora as condições geográficas distando o Reino dos Céus do reino terreno, o Senhor envia os seus anjos para proteger e guiar aqueles  que o amam e o buscam os quais são pertencentes ao Seu Reino, embora ainda peregrinando em terra estranha.



O fato acima é apenas uma ilustração para chamar a atenção do tema a ser descrito, pois, jamais um anjo do Senhor se esqueceria quem é e qual seria a sua missão.




O REINO DE DEUS E OS SEUS CIDADÃOS E CIDADÃS
"Respondeu Jesus: O meu reino não é deste mundo; se o meu reino fosse deste mundo, pelejariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus; entretanto o meu reino não é daqui." (João 18:36)

O reino de Deus operante pelo Pai, Filho e Espírito Santo está localizado e representado aqui na terra através dos seus súditos, os embaixadores do Senhor Jesus Cristo.

Sua representatividade não está na ostentação exterior da nobreza, das propriedades ou de peculiaridades ligadas as vaidades das benesses terrenas, mas sim:

Sendo Jesus interrogado pelos fariseus sobre quando viria o reino de Deus, respondeu-lhes: O reino de Deus não vem com aparência exterior; nem dirão: Ei-lo aqui! ou: Ei-lo ali! pois o reino de Deus está dentro de vós (Lucas 17:20-21).

RESULTANTE: Por mais que queiramos arrumar um texto como pretexto para ligar os dois reinos pelo materialismo ou pela carnalidade, isto jamais encontrará abrigo no Escriturado Bíblico. O Reino divino tem primazia em tudo, pois é o que permanece para todo o sempre.

Para ser pertencente e representante do Reino do Senhor Jesus Cristo temos que:

"Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me;" (Mateus 16:24)

Ora, para quê e PARA QUÊ precisamos negar a nós mesmos, tomar a nossa cruz para segui-lo?

Resposta:
"Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé no filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. (Gálatas 2:20)

RESULTANTE: Se não negar a mim mesmo e não tomar a minha cruz para segui-lo, o Senhor Jesus Cristo não viverá em mim.

Com o eu negado e com o Senhor Jesus Cristo vivendo em mim, passo a ser o Templo do Espírito Santo:

"Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?"  (I Coríntios 6 : 19)

Se não houver a transformação do ser carnal para o ser espiritual, ou seja, se não nascer de novo (do novo) não podermos entrar no Reino de Deus:


"Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus."  (João 3 : 5)


Porquanto, temos que buscar de todo o nosso coração as coisas do Reino de Deus para que as demais coisas nos sejam acrescentadas:

"Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas."  (Mateus 6 : 33)

AS COISAS QUE O REINO DE DEUS NÃO É:
"Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo."  (Romanos 14 : 17)


GANÂNCIA PELOS BENS MATERIAIS - LUCAS 17  E ele arrazoava consigo mesmo, dizendo: Que farei? Não tenho onde recolher os meus frutos.

18  E disse: Farei isto: Derrubarei os meus celeiros, e edificarei outros maiores, e ali recolherei todas as minhas novidades e os meus bens;

19  E direi a minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e folga.

20  Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?


21  Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus.

Não que o Senhor queira que sejamos pobres, mas que os bens adquiridos sejam para honra e glória do nome do Filho amado. "Se" eu NÃO sou levado ao materialismo e a ganância, não posso procurar as riquezas deste mundo, pois estarei esquecendo-me de Deus (ver Mateus 6:24).

O Senhor é o dono do ouro e da prata e se ELE quiser abençoar uma serva ou um servo seu com riquezas várias, ELE é soberano em todas as suas decisões.


MATEUS 6:19  Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam;

20  Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam.


21  Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.


CONCLUSÃO:

Vivemos em um tempo em que as identidades são confusas como se houvesse uma perda de memória em relação a quem somos, a quem pertencemos,  para onde vamos e qual é a nossa missão aqui na terra.

Andamos no mundo, mas não somos herdeiros dele e sim dos céus.

Nosso amor tem que estar vinculado nas coisas do Reino de Deus, pois que:

"Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. (I João 2 : 15)

O cidadão dos céus é separado das coisas que são do mundo, pois que:

"Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo."  (João 17 : 14)

"Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal."  (João 17 : 15)

Daniel e seus três companheiros muito embora estivessem no reino babilônico, onde a mesa do rei era farta, eles resolveram não se contaminar, mantendo-se castos em mundo corrompido.

Mas, apesar de todas estas recomendações supracitadas em que mesmo se constitui o reino divino?

"Porque o reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder (virtude em outra tradução)."  (I Coríntios 4 : 20)

Do que adianta citarmos tantas regras se o nosso coração não estiver na palavra que a rege.

Se estivermos com o coração na palavra, seguindo e praticando-a, a virtude o poder estará testemunhado por nós.

É o mesmo que santidade não é só uma palavra, MAS SIM UM ESTADO, O ESTADO DE SANTIDADE.

Porquanto, estamos perdendo a memória que o nosso alvo é a salvação para a vida eterna com o Senhor Jesus Cristo.

Que a nossa missão é ganhar almas para ELE.

Estamos sendo fixados no materialismo, nas prosperidades materiais; nos modismos; em aparecer como modelitos em todos os sentidos e estamos nos esquecendo que precisamos nos tornar criaturas espirituais pelo nascer do Espirito Santo:

"Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo,"  (Tito 3 : 5)
`
É preciso morrer para o velho e dar enfase para novo nascimento da lavagem da água pela palavra, e do Espírito Santo em sua renovação.