quinta-feira, 30 de abril de 2015

SANTIDADE E CARNALIDADE, UM DNA QUE VEM DE DENTRO PARA FORA


COM A SALVAÇÃO DE ALMAS
O conhecimento fundamentado das coisas que são de Deus é uma dádiva que sempre irá nos edificar, e nos aproximar do Senhor e do nosso próximo.

Porquanto, é pelo seu DNA (alusão) que NOS DÁ O CONHECIMENTO DAS SUAS ORIGENS:

Com exceção de gêmeos univitelinos, o DNA de cada indivíduo é exclusivo, cada ser humano possui duas formas de cada gene, uma que recebe da mãe outra que recebe do pai. Mesmo sendo a maioria dos genes iguais entre as pessoas, algumas sequências do DNA variam de pessoa para pessoa.
Para saber a paternidade de uma criança, faz-se o teste de DNA, que vai confirmar sua origem genética. (...).

Quem são os pais sempre serão conhecidos pelas suas origens. Tudo aquilo que fazemos tem uma paternidade, e ou procede do Eterno ou do deus deste século.

CONQUANTO, TODAS AS COISAS tem o seu DNA desde o seu nascedouro.


AS ORIGENS SÃO DE DENTRO PARA FORA:
Os nossos desejos determinam o nosso destino no que buscamos como alvos para os nossos deleites. Eles tem o seu DNA em nosso interior refletindo no nosso exterior os atos, fatos e consequências.
"DE onde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura não vêm disto, a saber, dos vossos deleites (desejos e satisfações internas), que nos vossos membros guerreiam (na carne)?"  (Tiago 4 : 1)

Há uma luta interior, uma batalha do Espírito contra a carne; o que vencer leva a alma para Deus ou para o outro.

Daquilo que a boca fala É O QUE VEM PARA FORA; porque o coração DENTRO DE NÓS está cheio dela.

Se a boca fala de coisas de uma fonte (paternidade) é porque está ligado a ela

De uma só fonte (paternidade) não pode jorrar duas águas (boa e má; doce e amarga).

As essências estão intrínsecas aos seus âmagos.

Porque, ninguém pode servir a dois senhores, pois há de amar um e odiar o outro, pois um NÃO TEM afinidade com o outro.

Se vivo para o Senhor Jesus Cristo FORA, é sinal de que aceito os seus mandamentos DENTRO; que as COISAS VELHAS JÁ PASSARAM, e tudo se fez novo, porque ELE VIVE DENTRO DE MIM.

SE não nascer (VIR DE DENTRO PARA FORA) da água e do Espírito, jamais verei o Reino de Deus.

Como posso nascer do Espírito para ver (entrar no) o Reino de Deus SE a carne fora NÃO ESTÁ MORTIFICADA EM MIM? - Porquanto, para que nasça do Espírito, a carne tem que ser vencida, MORTIFICADA de DENTRO PARA FORA.

No entanto, posso até estar no caminho da verdade, mas se ainda professo a mentira, destituído estou da graça divina, porque, a natureza do Pai da verdade é uma, e a do pai da mentira é outra.

"SE" o meu coração DENTRO DE MIM está infestado pelo pai da mentira, mentiras repercutem NEGATIVAMENTE FORA dele; assim como o é POSITIVAMENTE A REPERCUSSÃO FORA pelo Pai da verdade.

"SE"  a sensualidade está dentro, o corpo demonstra fora. Isto por um mero acaso não seria cabal?

Não há um sem outro; pois AS ORIGENS (OS DNA'S) DETERMINAM A SUA PROCEDÊNCIA, E BEM COMO QUAL SERÁ O SEU FIM.

Há uma comoda e aberta aceitação da inversão de valores os quais preconizam que a sensualidade demonstrada FORA não vem de DENTRO, pois POR DENTRO O PORTADOR SENSUAL é "SERIA" considerado "SANTO", e ou está no caminho da santidade.

Esta antagônica condição dá o lugar a carne em depreciação do Espírito.

Porquanto, isto é um assassinato anunciado do texto em seu contexto, como pretexto para que através da sensualidade, puxada no carro da vaidade se leve ao abismo da carnalidade:

"Ai dos que puxam a iniquidade com cordas de vaidade, e o pecado com tirantes de carro!"  (Isaías 5 : 18)

Não há como ser santo por dentro e sensual (carnal) por fora. Podemos até estarmos estampados de santos por fora e não sermos por dentro; mas, TODO O QUE ESTÁ NO CAMINHO DA SANTIDADE POR DENTRO, estará ESTAMPADO POR FORA NOS SEUS PASSOS.

O que seria verdadeiramente SANTIDADE?


Há que se fazer uma "reles" pergunta: 

Por um acaso, por uma ironia do destino (sem ser irônico) o caminho (meio que conduz-nos) ao reino de Deus não seria através do Evangelho do Senhor Jesus Cristo (novas de salvação) na transformação do pecador (carnal) em um ente espiritual?

O CAMINHO DO PERIGO:
Se incentivo a sensualidade não estaria eu investindo na carnalidade?

Quanto mais é mostrada a carne, não aumenta mais o perigo da carnalidade?

A carnalidade não seria oposta a santidade?

Os invólucros não estão a cada dia mais sendo um convite ao que? - A santidade ou a carnalidade?

Se faço do meu corpo cobiça, não seria para ser cobiçado? 
- Bate-Seba não fez-se cobiça para ser cobiçada pelo rei Davi?
- O rei Ezequias não mostrou todos os tesouros do reino aos babilônicos, fazendo-os cobiça para serem cobiçados? - E qual foi o preço depois?

O que mais se ouve não é que o belo é para ser mostrado?

Até aonde estamos mostrando O TEMPLO DO SENHOR?

O TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO

O nosso corpo como sendo templo do Senhor (ESPÍRITO SANTO), não pertencendo mais a nós mesmos (I Coríntios 3:16, 17; 6: 19, 20; II Coríntios 6: 14, 18; I Pedro 2: 4, 5); poderíamos por uma MICROSCÓPICA POSSIBILIDADE fazermos do nosso espírito, alma e corpo os quais PERTENCEM A ELE em um espetáculo para olhares perniciosos, impudentes e lascivos?

Qual seria o caminho da lascívia?


O caminho da santidade é o oposto da lascívia:
"E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso SENHOR Jesus Cristo."  (I Tessalonicenses 5 : 23)

Estamos vivendo um tempo em que estamos fazendo do mal o bem, e do bem ao mal:

"Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!"  (Isaías 5 : 20)

O deus deste século está nos cegando o entendimento para que não vejamos que a glória de Deus que está no Seu amado e querido Filho, o Senhor Jesus Cristo, passa inequivocamente pelo caminho (meio que conduz) da SANTIDADE; pois há que ser santo, porquanto, SANTO ELE É.

E a mesmíssima palavra divina não nos envida que devemos sermos santificados (santos) EM TODA A NOSSA VÃ MANEIRA DE VIVER? 

Enfim: Quem irá herdar a glória, o que busca e está lutando no caminho estreito da santidade, e ou o que está no caminho largo sensualidade\carnalidade?

"Agora, pois, irmãos, encomendo-vos a Deus e à palavra da sua graça; a ele que é poderoso para vos edificar e dar herança entre todos os santificados."  (Atos 20 : 32)

Amém.


Com este artigo lançamos um desafio a todos os prestimosos irmãos, em seus meios de divulgação, que discorram no profundo do TEMA SANTIDADE AO SENHOR a qual é o único meio junto com a paz com todos para termos uma eternidade com o SENHOR JESUS CRISTO.



terça-feira, 14 de abril de 2015

VOLTANDO A JERUSALÉM COM NEEMIAS PARA RECONSTRUIR OS MUROS E REPOR AS PORTAS QUEIMADAS A FOGO

Em Jerusalém os muros estavam caídos e as portas queimadas a fogo.

Os muros da cidade ou o que restara deles jazia em meio aos escombros.

Suas defesas eram nulas, e aquela que em doutras eras fora a rainha do mundo estava a mercê das feras, dos salteadores e no mais relés abandono moral, espiritual e social.

O caos vigente era mantido por interesses espúrios, medos e desânimos.

Sua memória estava legada aos anciãos sobreviventes dos tempos áureos de prosperidade, glória e domínio.

A cidade do grande Rei era um triste arremedo da glória, do templo e do culto ao Eterno Senhor dos céus e da terra.

Era preciso de um Neemias, com fé, determinação e despojo, para começar a reconstrução dos muros e das portas que defendiam e separavam a preciosa cidade do mundo de então.

De alguém que não estava refém dos palácios, das casas estucadas e do comodismo tão próprio de nós que olhamos para o nosso próprio ventre.

Nem mesmo a distância foi um obstáculo para impedir o que fervia no seu coração.

No entanto, Neemias dependia da autorização, guarda e dispensa do Grande autor da sua fé.

Para isso orou e jejuou por um longo tempo, até que chegasse a situação propícia para achegar-se ao rei, seu senhor aqui na terra.

A liberação foi notória, e os preparativos, recursos e ânimo para grande jornada foram empreendidos, e a viagem a terra prometida teve o seu primeiro passo.

Os colaboradores, as famílias e todos os demais partícipes para grande obra estavam unidos, e em movimento.

A chegada a cidade santa foi sem alarde, pompa ou anunciação.

Os inimigos da reconstrução foram pegos de surpresa; quando deram-se em conta a obra já estava em andamento.

Nem mesmos as cartas acusatórias de Tobias, Sambalate, governante e afins foram suficientes para impedir aquilo que estava no Coração do Senhor espraiado em Neemias.

Porquanto, Neemias não desceu do seu propósito de reconstruir os muros e as portas da sua amada cidade, para atender no baixo nível aqueles que queriam barrar a obra do Senhor.

Na vigia, com uma mão na obra e outra na espada, Neemias e colaboradores com cinquenta e dois dias deu defesas a Jerusalém.

CONCLUSÃO:
Cada um de nós somos o templo, o altar e os adoradores da igreja do Senhor Jesus Cristo, e que fazemos parte da Jerusalém celestial.

Se os nossos muros estão caídos e às portas queimadas a fogo pelo inimigo, com as defesas nulas, pois ainda estamos no cativeiro babilônico, é tempo de nos dar conta deste grave entrave, e colocarmos em nossos corações que precisamos fazer esta grande obra.

Se as Doutrinas Bíblicas de Salvação: Justificação, Regeneração, Adoção e Santificação para Glorificação, são os nossos muros e portas que nos regem e protegem na Cidade Santa, pois foram queimadas e destruídas pela Babilônia, há que se tomar uma decisão de restabelecê-las.

Conquanto, temos de sairmos do nosso próprio eu, da nossas casas estucadas e das comodidades do não me expor, e fazer a diferença em um tempo que a palavra do Senhor diz que vai da mal a pior.

Cada um de nós é responsável pela sua própria salvação; por isso esta colossal obra tem de ser feita em nós mesmos.

Este é o desejo do Grande Rei que nenhum de nós se perca, e para este eternal projeto já estamos liberados e abençoados por ELE. Basta que oremos, jejuemos, para sermos direcionados por ELE.

Vigiando, ordenados e fortalecidos por ELE, com uma mão na Espada do Espírito e a outra na obra, sem alarde, não adiantarão virem os Tobias, Sambalates e governos, com perseguições, cartas e outros para nos demover desta grande obra.

Não desceremos deste propósito elementar que resguarda a nossa fé contra as astutas ciladas do diabo de voltarmos aos princípios regidos e abençoados pela palavra de Deus.

Portanto, voltaremos a Jerusalém com Zorobabel para reconstruir o templo, e com Esdras para reconstituir o verdadeiro culto ao Senhor, para que a glória da segunda casa seja maior do que a primeira.

No entanto, para que a glória da segunda casa seja maior do que a primeira, o velho templo da pompa, da vaidade e da soberba tem que ser destruído.

Assim nos veio, assim o escrevemos.



quinta-feira, 9 de abril de 2015

BABILÔNIA


A Babilônia dos tempos bíblicos foi considerada a maior cidade quanto as transgressões e desvirtuamentos das coisas que são de Deus.


Ela superou Sodoma e Gomorra pela sua altíssima nocividade nas mais diversas áreas da deformação do caráter moral e social humano.

Ela, pela sua periculosidade moral foi considerada como figura central da maior prostituta de um sistema religioso (Apocalipse 17).

A idolatria, as filosofias e o meio de vida pérfido não tinham controle, nem ordem moral.

As festas, as sensualidades, a prostituição, as traições, a violência, a corrupção e toda espécie de males estavam presentes em seu meio.

Toda perversão imoral tinha abrigo e amparo nas práticas babilônicas.

Hoje, tristemente vemos que não precisaríamos voltar a Caldeia, na antiga Babilônia, para sermos partícipes de um elenco maléfico DE ATOS que contribui em primeiríssimo lugar para desconstituição e destruição das famílias do Brasil e do mundo.

A engenhosidade dos entretenimentos conhecedor das características do coração humano, onde ele é enganoso e perverso, para embarcar nos seus embaraçosos deleites, oferecendo-nos um banquete de idolatria, ocultismo, corrupção, sensualidades, traições e prostituições.

O horário é nobre, o público próprio e impróprio (crianças) para babilonizar e cativar os seus incautos espectadores.

Estamos cativos passivos, e ainda satisfeitos em nossa própria casa; reféns dos MIDIANITAS, onde não temos nem LAGAR para malharmos o TRIGO.

A nossa produção espiritual é tão parca que os MIDIANITAS nem precisam de muito esforço para surrupiar-nos na ponta de nossos narizes; pois a nossa cegueira espiritual precisa de um milagre fora do normal para vermos o que está na frente dos nossos olhos, mas não vemos.

CONCLUSÃO:

No entanto, através da dor, é que daremos valor ao que a palavra do Senhor nos diz para a vinda do Senhor Jesus Cristo, e com Ele ir:

I TESSALONICENSES 5:15  Vede que ninguém dê a outrem mal por mal, mas segui sempre o bem, tanto uns para com os outros, como para com todos.
16  Regozijai-vos sempre.
17  Orai sem cessar.
18  Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.
19  Não extingais o Espírito.
20  Não desprezeis as profecias.
21  Examinai tudo. Retende o bem.
22  Abstende-vos de toda a aparência do mal.
23  E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso SENHOR Jesus Cristo.
24  Fiel é o que vos chama, o qual também o fará.

Ainda é tempo de voltarmos A JERUSALÉM com NEEMIAS para reconstruirmos os muros; com Zorobabel para reconstruirmos o templo, e com ESDRAS par restabelecermos o culto ao Senhor. 

Conquanto, a Glória de Deus na segunda casa será maior do que na primeira.